BRDE capta € 50 milhões da ADF para projetos sustentáveis

0
180
Projetos de energias renováveis serão favorecidos/ Foto/BRDE/Divulgação

Agora é oficial. O BRDE está captando € 50 milhões na AFD (Agência Francesa de Desenvolvimento) para financiar projetos sustentáveis no âmbito do Programa BRDE PCS (Produção e Consumo Sustentável), em cinco grandes eixos de investimento: água, agronegócio sustentável, tratamento de resíduos, cidades sustentáveis e energias limpas e renováveis.
Nesta quinta-feira, às 17h, no Palácio Piratini, será assinado o contrato de financiamento  entre o banco e a ADF, com a presença do embaixador francês Michel Miraillet. O ato de assinatura da linha de financiamento com a ADF abre caminho para o banco diversificar suas fontes de funding, hoje majoritariamente dependentes do BNDES. A preocupação socioambiental no BRDE é antiga, tendo sido o primeiro banco a exigir Licença Ambiental para financiar projetos de empresas. O PCS atende os seguintes segmentos:
Energias limpas e renováveis: o banco apoia projetos que contribuam para a redução do desperdício e para a racionalização da energia em ambientes domésticos, produtivos ou comerciais. Também são apoiados projetos de geração de energia que utilizem fontes renováveis, como a eólica e a solar.
Uso racional da água: Entre os itens financiáveis estão obras civis, serviços de terraplenagem e movimentação do solo, estudos e projetos de engenharia, pesquisa e desenvolvimento, instalação e montagem de equipamentos, entre outros.
Gestão de resíduos e reciclagem: o banco financia projetos para reduzir a utilização de materiais em processos industriais e comerciais; tratamento de resíduos sólidos, efluentes e emissões atmosféricas e reciclagem de resíduos.
Agronegócio sustentável: o BRDE financia tratamento ou aproveitamento de dejetos, incluindo aproveitamento para geração de energia e compostagem; recuperação de pastagens degradadas; implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta e de sistemas agroflorestais; regularização ou adequação das propriedades rurais à legislação ambiental.
Cidades sustentáveis: o banco financia iniciativas do poder público municipal na área de energias limpas e renováveis, agronegócio sustentável, gestão de resíduos e reciclagem além do uso racional e eficiente dos recursos hídricos. A Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) é o braço do governo francês voltado para a cooperação financeira com o setor público de outros países. Suas atividades no Brasil começaram em novembro de 2007, com a abertura de uma representação em Brasília.
O Brasil é o primeiro país de intervenção da AFD na América Latina e o 2° mais importante destino dos financiamentos da agência, depois do Marrocos. Cerca de 1,8 bilhão de euros foram investidos no financiamento de 38 projetos no país, 70% dos quais contribuíram para a agenda do clima (mobilidade urbana, cidade sustentável, energia e gestão sustentável dos recursos naturais).
As prioridades da atuação diplomática da França são o desenvolvimento sustentável e a luta contra o aquecimento climático.

Balanço do PCS nos anos de 2016 e 2017:

PROGRAMA BRDE/PCS 2016 2017 TOTAL 2016+2017
QTE VALOR EM

R$ MIL

QTE VALOR

EM R$ MIL

QTE VALOR

EM R$ MIL

Energias Renováveis 13 246.733 31 414.993 44 661.726
Agropecuária Sustentável 20 24.319 35 39.274 55 63.593
Uso racional da água 1 9.442 1 13.200 2 22.642
Eficiência Energética 1 4.567 3 15.358 4 19.925
Resíduos/Reciclagem 1 619 2 1.190 3 1.809
TOTAL 36 285.680 72 484.015 108 769.695

PRINCIPAIS PROJETOS:

2017 –
Eólicas Chuí/Hermenegildo: Financiamento BRDE R$ 150 milhões.
Santa Vitória do Palmar – projeto eólico = financiamento parcela BRDE: R$ 230 milhões.
Sepé Geração de Energia – projeto biomassa – casca de arroz = financiamento BRDE: R$ 35 milhões

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui