Energia eólica crescerá 56% em apenas cinco anos, segundo relatório do GWEC

0
133

O parque eólico global que encerrou o ano passado, com uma capacidade total de 539 GW será superior a 700 em 2020 e 840 em 2022, ou seja, crescerá em apenas cinco anos quase 56%. A estimativa é do Conselho Global de Energia Eólica (Conselho de Energia Eólica Global, GWEC) que acaba de publicar o Balanço de 2017, que, além de registrar os números de 2017, também inclui estimativas do quinquênio 2018-2022. O setor espera taxas de crescimento de cerca de 10% ao ano durante o próximo período de cinco anos. Com um total de 12.239 MW, o Brasil responde por 2% da energia eólica global.

“O vento é a tecnologia mais competitiva no preço em muitos, se não na maioria dos mercados do mundo.” É a frase que você escolheu o Global Wind Energy Council para abrir o comunicado de imprensa com o qual ele apresentou seu mais recente balanço anual de 2017. O setor é exultante.  De acordo com GWEC, em 2018 o mundo vai instalar cerca de 53 GB de energia eólica, ou seja, aproximadamente o mesmo que em 2017; mas é que em 2019 as previsões apontam para que a nova potência instalada ultrapasse os 57 GW; em 2020, os 62; e em 2022, 66. No fim de cinco anos, a energia eólica instalada globalmente ultrapassará 840 GW.

A indicação do GWEC  é evidente: se somarmos para o sucesso da cada vez mais competitivos tecnologia eólica e a proliferação prevista de instalações híbridas solar vento, o gerenciamento de rede cada vez mais sofisticados e também soluções de armazenamento cada vez mais competitivas, o resultado é que está se aproximando “de um sistema elétrico completamente livre de combustíveis fósseis”. “A energia eólica está liderando a transição energética dos combustíveis fósseis para uma fase elétrica 100% renovável, e está fazendo isso através de sua contínua melhoria “no preço, desempenho e confiabilidade” , diz o comunicado.

Estimativas  são positivas para 2018-2022,segundo o GWEC

“Os mercados Marrocos, Índia, México e Canadá -aponta o GWEC- giram em torno de três centavos de dólar por quilowatt-hora gerado. No México, em um leilão recente, o preço caiu abaixo de dois centavos. Do outro lado do Atlântico, na Europa, onde a maioria desenvolvida eólica offshore (no mar), custos mais baixos também estão a despencar. Na Holanda e na Alemanha, as empresas entregam o seu produto a zero, isto é, cobram seus quilowatts-horas ao preço de mercado no atacado, sem qualquer ajuda ou subsídio.”

Otimismo 

As estimativas para a Argentina também são muito positivas. GWEC fala de um boom de vento lá, um “retorno às boas maneiras” na África do Sul e um enorme crescimento no México. Mas não só. Porque, mesmo longe da exuberância dos mercados, o secretário-geral do Steve Sawyer Conselho, fala de “alto potencial”, também na Rússia, Vietnã e Arábia Saudita. O GWEC também está otimista com o horizonte dos Estados Unidos, um país no qual o setor continuará indubitavelmente forte “pelo menos até 2020, e provavelmente além”. No Sul do continente, o Brasil vai encerrar locomotiva, embora vai se candidatar para forçar Argentina, que finalmente parece estar despertando de seu sono, o ativo Chile e o pequeno Uruguai. O Conselho, finalmente, aponta para a China como o líder indiscutível. líder em vigor e que continuará a ocupar essa posição ao longo do período de cinco anos, embora com um dinamismo inferior ao registrado na última década.

Os destaques

Finalmente, o GWEC aponta que os níveis de penetração do vento continuarão a crescer rapidamente. A Dinamarca obteve 44% de sua eletricidade do vento em 2017; Uruguai, mais de 30%. No ano passado, a energia eólica foi responsável por 11,6% da eletricidade utilizada pela União Europeia, dentro da qual a Dinamarca foi a primeira da fila. Depois dela, Portugal e Irlanda alcançaram uma quota de vento de 24%, enquanto a Espanha e a Alemanha estavam à beira de 20%. Em quatro estados dos Estados Unidos, mais de 30% da eletricidade deixou os parques eólicos, percentual semelhante ao registrado pelo estado da Austrália do Sul e vários landers da Alemanha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui