Ibama recebe Plano de Dragagem de manutenção emergencial para o porto de Rio Grande

0
56
Crédito: Divulgação

A Superintendência do Porto de Rio Grande entregou ontem (27) ao Ibama, em Brasília, o Plano de Dragagem de manutenção em caráter emergencial para a retirada de 3,5 milhões de m³ de sedimentos. De acordo com o superintendente Janir Branco, a dragagem de manutenção ajuda todo tipo de embarcação entrar ou sair do porto. “O canal limpo, com suas cotas totais é uma garantia de segurança ao processo portuário. Atualmente, os problemas enfrentados concentram-se apenas nos graneleiros que são os navios que utilizam a cota máxima de calado do porto. Ou seja, essa dragagem a ser realizada irá melhorar a situação das embarcações graneleiras de forma imediata”, ressalta.

Para se chegar a este número, foi feito uma batimetria no canal de acesso, que apontou a retirada de 2,2 milhões de m³. “Essa batimetria mapeou toda a área do canal e nos apresentou como estão as cotas de profundidade de cada um dos trechos. Os 2,2 milhões de m³ é o necessário para a manutenção das cotas de calado. Com as taxas de segurança legais, a dragagem que deve ser realizada buscará a retirada de cerca de 3,5 milhões de m³. A diferença é o limite legal de taxa de segurança que deve ser observada” explica Janir Branco.

Sem data para o início dos trabalhos

O material a ser dragado está em toda a extensão do canal de acesso que possui cerca de 30 km de extensão. Ao longo de todo o canal temos trechos críticos e precisávamos realizar a dragagem para corrigir o canal. A deposição de sedimentos se dará no sitio de descarte licenciado pelo Ibama. Tão logo o órgão ambiental autorize este plano – não há como prever prazo – o passo seguinte será a busca pelos recursos especificamente para esta etapa junto ao Ministério dos Transportes.

“O que está sendo construído é um plano de dragagem para uma manutenção mínima das cotas de calado do porto do Rio Grande. O contrato assinado em 2015 previa esse volume como uma manutenção total do complexo. São situações distintas e nosso foco no momento é a manutenção do calado oficial do porto”, disse Janir Branco, salientando que em uma segunda etapa o grupo de trabalho buscará a viabilidade da autorização junto ao Ibama para a dragagem de aprofundamento, cujo volume é de 18 milhões de m³.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui