Indústria de implementos rodoviários mira o México e os Estados Unidos para expandir exportações

0
77
Crédito: Divulgação

A presença de seis indústrias brasileiras na Expo Carga, realizada no México, chancelada pela Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) reflete não apenas o interesse de contribuir para prospecção e geração de negócios no exterior. Representa também a oportunidade de abrir um canal para comercialização de produtos brasileiros no mercado dos Estados Unidos. A afirmação é do presidente da Anfir, Norberto Fabris. “É uma porta de entrada”, sintetiza o dirigente.

“Temos produtos para concorrer nesses mercados, sem dúvida”, comenta Fabris. Ele acrescenta que o primeiro passo é estar presente em feiras como esta para observar as oportunidades. “Temos tecnologia e qualidade para competir. Resta ganhar no preço, porque temos a logística para a entrega dos produtos e isso pesa no custo”, salienta o dirigente. “O importante é testar, isso faz parte da busca por novos mercados”, explica.

Mercado comprador

De acordo com o presidente da Anfir, embora sejam mercados diferentes do nosso – as carretas de três eixos não são comuns, e sim de dois eixos 6×4 – há viabilidade para exportar modelos destinados ao transporte de carga geral, sider e plataformas, estas, bastante usadas para carga geral também. “Temos ainda chances para os basculantes, bastando apenas adequação no desenho”, conta Norberto Fabris. Já a movimentação de grãos é realizada por caminhões dedicados, ao contrário do Brasil.

“O México possui excelentes fabricantes de implementos rodoviários e é também um mercado exportador e comprador, mas nós temos, sim, produtos para concorrer tanto lá quanto nos Estados Unidos”, ressalta o presidente da Anfir. “Precisamos somente ser mais conhecidos lá fora, como somos na América do Sul, e ser mais competitivos. Nós não podemos esquecer que os americanos também vendem muita coisa para o México”, reforça Fabris.

US$ 42 milhões em negócios

Segundo Fabris, dos 150 associados a entidade o histórico de exportações é formado por um pequeno grupo de empresas de grande e médio porte, cujos negócios oscilam, em média, entre 10 e 15% do faturamento. “A maioria não atua no mercado externo basicamente porque são fabricantes de linha leve”, justifica o presidente da Anfir. As seis empresas que participaram da missão ao México foram: Fix, Grimaldi, Hidromas, Furgões Ibiporã, Randon e Thermo Star.

Além dos Estados Unidos e Brasil, a Expo Carga contou com a presença de países como a China, Colômbia, Panamá e Argentina. Dentro do evento aconteceram rodadas de negócios promovidas pela promotora, a Reed-Exhibition, entre empresas expositoras e visitantes. O evento ainda contou com 15 fóruns. A edição deste ano teve a presença de 17 mil visitantes e 300 expositores, que ocuparam uma área de mais de 15 mil m².

O Programa de Internacionalização da Indústria de Implementos Rodoviários (MoveBrazil) em parceria com Apex-Brasil, teve início em 2016 e já teve uma renovação, assinada em 2017. Já foram realizadas missões comerciais ao Chile, Colômbia, Panamá e Peru, além de duas Rodadas de Negócios em São Paulo, sendo a segunda na Fenatran do ano passado. Nesse período foi dado suporte a 50 empresas inscritas no programa a entrar na trilha da exportação, gerando US$ 42,5 milhões em negócios.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui