Licitação da rodoviária de Porto Alegre deve ficar para o segundo semestre do ano

0
508
Foto/Divulgação/Veppo

Quase cinquentenária, a Estação Rodoviária de Porto Alegre deverá passar por uma transformação radical a partir da assunção de um novo concessionário a ser definido por meio de licitação. Pelo menos essa é a expectativa do diretor de transportes do Daer, Lauro Hagemann, em entrevista à Modal. “Trata-se de um nó cego que pretendemos desatar ainda neste ano”, pontuou o dirigente.

Inaugurada em 28 de junho de 1970,  a Estação  sempre foi dirigida pela empresa Veppo & Cia Ltda., que também foi responsável pela sua construção.  O quadro começou a mudar a partir de 2012, quando o Ministério Público de Contas (RS) passou a exigir do governo do estado a licitação da concessão.

Após uma tentativa de prorrogação da concessão de parte do Daer, o que foi questionado pelo MPC, no segundo semestre de 2017, o governo do estado lançou uma Manifestação da Iniciativa Privada (MPI). Duas propostas foram apresentadas: da Socicam, de Campinas (SP), e do consórcio Sinart (BA)/Pelotense (RS), cujos modelos servirão de subsídios para o edital.

De acordo com Hagemann, o estado deverá escolher entre as duas propostas o modelo que servirá de parâmetro para o edital. “O edital poderá até mesmo incluir uma mescla das duas propostas que contribuíram para avançar o processo”, explicou Hagemann.

Uma estimativa feita por uma das propostas, segundo o diretor do Daer, inclui  investimentos de cerca de R$ 70 milhões, enquanto que a outra projeta um volume bem inferior. Entre as obras imprescindíveis a serem executadas pelo novo concessionário, Hagemman menciona ser fundamental a readequação do terminal de modo a propiciar melhores condições aos passageiros que desembarcam e que hoje ficam desabrigados. “De qualquer forma, Porto Alegre deverá receber uma das mais modernas estações rodoviárias do país”, garante.

Uma estimativa feita por uma das propostas, segundo o diretor do Daer, inclui  investimentos de cerca de R$ 70 milhões, enquanto que a outra projeta um volume bem inferior. Entre as obras imprescindíveis a serem executadas pelo novo concessionário, Hagemman menciona ser fundamental a readequação do terminal de modo a propiciar melhores condições aos passageiros que desembarcam e que hoje ficam desabrigados.

Até o momento, não há previsão para o lançamento do edital que depende da unidade de PPPs da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão. Em nota à Modal, a assessoria da SPGG informou que no momento, o governo está dando prioridade para as concessões das rodovias estaduais e o Zoológico de Sapucaia do Sul, que estão em etapa final do estudo de modelagem dos projetos, com previsão até final de maio deste ano.  Somente após  finalizar esses estudos, a SPGG trabalhará no projeto da rodoviária de Porto Alegre.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui