Taxa média anual de crescimento para o 1º trimestre em Rio Grande é de 9,34%

0
92
Crédito: Divulgação

A soma de todos os produtos embarcados e desembarcados pelo porto de Rio Grande nos primeiros três meses do ano totalizou 8,212 milhões de toneladas, volume que corresponde a um aumento de 3,24% em relação a igual período do ano passado (7,954 milhões de toneladas).

Ao analisar o comportamento das importações e exportações realizadas pelo porto gaúcho nos últimos dez anos, o volume de carga no primeiro trimestre de 2018 mais do que duplicou em relação a 2009, de 3,979 milhões de toneladas para 8,212 milhões de toneladas nesse ano, o que significa alta de 106,38%. A taxa média de crescimento anual do porto nesse período foi de 9,34%.

Movimentação - 1º Trimestre 2018

Carga geral puxa o índice

A alta no primeiro trimestre de 2018 foi puxada pela elevação de 22,61% da carga geral (3,005 milhões de toneladas). O baixo índice registrado na movimentação foi causado pela retração de 18,56% de granéis líquidos no comparativo com o mesmo intervalo do ano passado, e também pela queda de 1,93% de graneis sólidos, de acordo com o levantamento da Superintendência do Porto de Rio Grande (Suprg). O total de contêineres enviados e recebidos pelo Tecon foi de 172,3 mil TEUs, ante 166,4 mil TEUS o ano passado, aumento de 3,50%.

“Ótimo desempenho, mas poderia ter sido melhor”, disse Wilen Manteli, consultor da Associação Brasileira dos Terminais Portuários (Abtp), lembrando que há armadores que não entram em Rio Grande e os que enviam suas embarcações precisam esperar a mudança da maré para poder conseguir seguir viagem. As hidrovias, segundo ele, seriam o fator de alavancagem.

O fator hidrovias

Manteli faz parte do grupo de líderes empresariais mobilizados na criação da Associação Hidrovias RS, entidade que se propõe a defender os interesses dos atores que possuem interesse nesse modal. “Estamos na fase de harmonização dos objetivos”, comentou, aproveitando para fazer um desafio: “Se a sociedade não abraçar esta ideia, não será o governo que fará isso”.

As adesões para a criação da Associação Hidrovias RS estão acontecendo em um ritmo bem acelerado, comemora o consultor. “Precisamos resgatar a garra dos antepassados que construíram os molhes de Rio Grande”, lembrou Manteli. “Nós vamos procurar o governador Sartori e também os candidatos que vão disputar as eleições para defender as nossas propostas”, concluiu

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui