Aeroporto de Vila Oliva de Caxias do Sul poderá ser a primeira PPP multimodal do país

0
140
Maquete do futuro aeroporto regional da Serra Gaúcha/Divulgação

Perto de receber o projeto executivo da Iguatemi Engenharia, de Florianópolis (SC), que deverá alinhar a licitação das obras do aeroporto de Vila Oliva, a prefeitura de Caxias do Sul não descarta a possibilidade de optar por uma PPP (Parceria Público-Privada)  com o intuito de viabilizar, de forma simultânea, as obras de acessos até a divisa de Gramado.
“Seria a primeira PPP multimodal do país”, diz Maurício Batista, secretário de Parcerias Estratégicas do município. Ele lembra que a prefeitura assinou um contrato com a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) não somente para  avaliar a possibilidade de concessão à iniciativa privada do futuro aeroporto regional da Serra Gaúcha, mas também de investimentos privados em sua infraestrutura de apoio, como estradas de acesso ao terminal.

“A execução desses acessos não está vinculada ao projeto contratado à Iguatemi e sua realização está vinculada ao estudo de demandas e logística em elaboração pela EPL”, esclarece Batista.

Batista admite que existe claramente uma preocupação quanto à capacidade do município em arcar com eventual contraprestação pecuniária, se houver uma evolução para uma PPP. A contrapartida da prefeitura  seria o aeroporto Hugo Cantergiani de propriedade do município.

“Quando do início da operação do novo aeroporto, o Hugo Cantergiani será desativado e o imóvel onde se encontra poderá ser utilizado como pagamento único da PPP, podendo o futuro concessionário desenvolver outros negócios nessa área, inclusive imobiliário”, assinala o secretário.

Hoje, os acessos à cidade de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha são feitos pela rodovia Rota do Sol que liga a BR116 à BR101, no litoral. A distância do trevo da RST 453  até o aeroporto é de 16 km. E do aeroporto até a divisa com Gramado é de 27 km.
O projeto do novo aeroporto regional de Caxias contempla  uma pista de pouso e decolagem, com uma capacidade do pátio com oito aeronaves de forma simultânea e a demanda estimada é de 1 milhão de passageiros para o ano de 2025. A área patrimonial do aeroporto é de aproximadamente 445,53 há e a do Terminal de Passageiros de  4.679,01m² que será ampliada para 6.000m² com readequações de layouts para atender às demandas operacionais e de serviço.

Para a sua construção serão aplicados R$ 204 milhões com recursos do governo federal, enquanto que para a concessão a estimativa é de mais R$ 300milhões nos acessos viários, ampliação do terminal de passageiros, cargas e demais instalações do sítio aeroportuário ao longo de 30 anos.

Celestino Loro, presidente da CIC, de Caxias do Sul, ressalta que  o novo aeroporto representa um marco para o município no mesmo nível da chegada da ferrovia em 1910. “Vamos ter conexão imediata com várias localidades, e isso deve atrair grandes investimentos nas vias de acesso de empresas de logística, transportes de cargas e de outros segmentos afins”, afirmou. “Trata-se de um equipamento que deverá reproduzir um grande impacto não somente na indústria, no comércio e nos serviços, mas principalmente no turismo que dará um salto gigantesco de crescimento”, completou.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui