Álamo (PR), do setor de O&M para centrais hidrelétricas, duplica de tamanho a cada três anos e almeja chegar a 50 clientes em 2025

0
865
PCH Castro, com 4 MW de potência, localizada em Castro (PR), é cliente da Álamo

Considerada até recentemente uma estrutura cara e pesada para as pequenas geradoras, o setor de O&M vem passando por profundas alterações ao longo dos últimos anos. Essa mudança se deve, em parte, à especialização das empresas do ramo e dos investimentos em novas tecnologias que levaram um  número cada vez maior de empreendedores a terceirizar a gestão dessas usinas.

“Está ocorrendo uma evolução extraordinária entre os empreendedores do setor, principalmente o pequeno empreendedor, que se convenceu que a gestão operacional deve ser entregue e confiada a empresas com referência no mercado e habilidades no setor”, diz Walter Camargo, diretor executivo da Álamo, de Guarapuava (PR).

A própria  Álamo retrata a evolução desse mercado. Atualmente, a empresa paranaense possui 21 clientes, entre PCHs e CGHs, nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso,  dos quais quatro geradoras em fase de implantação da O&M.  Ao total são mais de 100 MW instalados operados e mantidos pela Álamo, que também inclui em seu portfólio duas subestações elevadoras e conectoras localizadas no RS e no PR.

Desde a data de sua fundação, em  21 de junho de 2013, a empresa vem dobrando de tamanho a cada três anos, tendo estabelecido a meta de chegar a 50 geradoras em 2025.
“O setor de O&M é responsável por apontar a necessidade ou não de modernização importantes nas PCHs”, diz Camargo que cita como exemplo os painéis de comando e proteção, que de tempos em tempos “precisam passar por um retrofit necessário ao bom funcionamento e confiabilidade na geração”.

Além da manutenção, os serviços de O&M também podem proporcionar um aumento na capacidade de geração da usina por meio de planejamento técnico como no caso da re- potenciação de usinas antigas, as quais podem obter um aumento na geração pela simples modernização dos equipamentos, em que ocorre o aumento da eficiência do conjunto turbina-gerador, acrescenta.

Em relação aos custos dos equipamentos, o empresário informa que o parque industrial do Brasil é referência mundial na fabricação de equipamentos para hidrelétricas e, apesar da flutuação do dólar, os custos têm se mantido em patamares satisfatórios nos últimos anos – um dos mais expressivos na implantação de uma usina hidrelétrica é o conjunto turbina-gerador.

Com 12 funcionários diretos e cerca de 60 indiretos os quais atuam na gestão de forma indireta, a empresa é controlada por um quadro de sócios de larga tradição no setor elétrico.

Com serviços diferenciados para pequenas geradoras as quais podem ter acesso a pacotes de com baixo custo baseados na alta eficiência de geração, a Álamo considera-se preparada para a chegada da precificação do PLD (Preço de liquidação de diferenças), no formato horário (2021). “Com isso, a inteligência na geração será considerada fundamental para a maximização dos lucros nas geradoras”.

Sobre os cenários do mercado, Camargo prefere não arriscar números. Todavia, pelas informações que dispõe ele afirma que “a maioria das geradoras já está nascendo com O&M contratada”.

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui