Certel, a mais antiga cooperativa de infraestrutura do Brasil, planeja ampliar investimentos em energias renováveis

0
410
Usina solar de São Pedro da Serra será inaugurada em 19 deste mês, dia do aniversário de 65 anos da cooperativa

Próxima de concluir o seu quinto projeto de geração hidrelétrica e o terceiro dedicado ao mercado livre,  a  Certel, de Teotônia (RS), a mais antiga cooperativa de infraestrutura do Brasil, vai ampliar sua atuação no segmento de energias renováveis.
 
Ainda em 2021 deverá dar continuidade aos estudos que pretendem marcar o seu ingresso na fonte eólica. A ideia é construir um parque eólico, de 10 MW, na Linha da Harmonia, no Vale do Taquari. Além disso, investiu até o momento R$ 1,5 milhão em sua segunda unidade de usina solar fotovoltaica, de 380 kWp de potência, em  São Pedro da Serra, que será inaugurada no dia do aniversário de 65 anos da cooperativa em 19 de fevereiro. Hoje, a cooperativa opera em sua sede administrativa uma unidade com potência  de 20,67 kWp.

No momento, a Certel está focada na conclusão da PCH Vale do Leite, de 6,4 MW, que será  construída no rio Forqueta, entre os municípios de Pouso Novo e Coqueiro Baixo. O investimento, de cerca de R$ 48 milhões,  é viabilizado pela Sicredi.

Ao comentar o novo PLD,  o presidente da Certel,  Erineo José Hennemann, afirmou que a matriz energética do país mudou e, as fontes renováveis  -principalmente eólica e solar-, passaram a ter impactos significativos nas variações de forma diária. Isso porque quando não existem vento, nem energia solar, é preciso complementar a geração com despacho térmico, que é uma energia com preço mais elevado.

Segundo Hennemann,  o objetivo principal do PLD horário é aproximar o valor ao custo real de operação.  Assim, o gerador que conseguir ter o controle de sua geração será beneficiado, gerando nos horários de preços mais elevados, enquanto que as usinas que não possuem esse controle ficarão mais expostas às suas variações.” É um incentivo à diversificação da matriz energética e à alta penetração das renováveis. Com o amadurecimento do mercado, a tendência é ter produtos diversificados, com preços mais justos e mais acessíveis”, acrescentou.

Hoje, a maioria dos contratos da Certel é na modulação flat. Todavia, o PLD horário pode intensificar as exposições do mercado de curto prazo na liquidação financeira da CCEE  (Câmara de Comercialização de Energia), devido à diferença entre a curva de geração horária e seus contratos de compras e vendas que hoje são vendas de forma flat, disse Hennemann.

Com cerca de 70 mil associados, em 48 municípios dos Vales do Taquari, Caí,  Rio Pardo, Paranhana e Serra, a Certel tem como meta alcançar nos próximos dez anos em torno de 100 mil associados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui