Com cinco PCHs vencedoras nos leilões A-3 e A-4, RS retoma ciclo de investimentos em um setor em que já pontificou como líder no ranking dos estados

0
502
Local em que será construída a PCH Cachoeira Cinco Veados

“É uma retomada muito importante para o setor, no estado que é um dos protagonistas dessa fonte”, afirmou Roberto Zuch, presidente da Associação Gaúcha de Fomento às Pequenas Centrais Hidrelétricas (agPCH), ao comentar o desempenho de cinco projetos de PCHs que se tornaram vitoriosos nos leilões realizados nesta quinta-feira.

Além das PCHs Linha 11 Oeste e Chimarrão, vencedoras no leilão A-4, o estado teve mais três PCHs contempladas no leilão A-3:  Rincão São Miguel, de 9,75 MW, e Cachoeira Cinco Veados, de 16,22 MW, controladas pelas Sociedades de Propósito Específico (SPEs) Rincão São Miguel Energética S/A e Rincão dos Albinos Energética S/A, pertencente ao grupo Havan (SC), e Tio Hugo, de 9,27 MW, pertencente à Coprel.

Ao total serão investidos R$ 425 milhões nos cinco empreendimentos, o que representa o reinício de um ciclo no setor em que o RS se destacou, em anos passados, como líder no ranking dos estados, posição perdida nos anos subsequentes devido aos entraves impostos no âmbito do licenciamento ambiental.

zuchnova
Roberto Zuch

Zuch considerou que os resultados conquistados nesta quinta-feira são, em grande parte, devido à criação da agPCH, ainda em 2015, pelo então presidente Luiz Antonio Leão. “É importante reconhecer os méritos a quem de direito”, destacou. “Foi Leão quem acreditou na união do setor e, contando com a força de seus parceiros, como Fecoergs e Compech, culminou  com a volta do RS aos leilões de energia. Esperamos que esse seja o início de um novo ciclo de retomada de investimentos nessa fonte de energia”, acrescentou

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui