Exclusivo. Consórcio Chimarrão será o primeiro a iniciar as obras de Linhas de Transmissão programadas para o RS

0
566
Linhas de transmissão de energia / Marcello Casal/ Agência Brasil

Dos cinco consórcios vencedores do leilão de linhas de transmissão programados para o RS, realizado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), em dezembro do ano passado, o Consórcio Chimarrão (CYMI Construções e Participações S.A., 50% e Brasil Energia Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, 50%) que arrematou o lote 10, deverá ser o primeiro a dar início às obras, segundo informou à Modal a diretora comercial da empresa Tatiana Madeira Vaccani.

O empreendimento do lote 10 visa a integração do potencial eólico do Rio Grande do Sul, especialmente na região do Escudo Rio-grandense, litoral sul e Costa da Lagoa dos Patos. As obras têm prazo de 48 meses e expectativa de geração de 6.088 empregos diretos. “Trata-se de um projeto de 48 meses, com início das obras previsto para final deste ano.O empreendimento está em prazo, não havendo qualquer atraso que possamos comentar”, afirmou Vaccani em entrevista por e-mail.

Marco Antônio Martins Fonseca, gerente de Novos Negócios da Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa), que arrematou o lote 12 do leilão, informou que o início das obras está programado para o primeiro semestre de 2020. A data dependerá do prazo de obtenção das licenças de instalação e do avanço do desimpedimento fundiário. “Não há qualquer atraso de parte da Taesa. O leilão de transmissão ocorreu em dezembro do ano passado e em prazo muito exíguo. Hoje já estamos com todas as contratações encaminhadas. Os maiores desafios são desimpedimento fundiário e o processo de obtenção das licenças em que a Fepam tem se mostrado extremamente parceira do empreendimento”.

O cronograma regulatório estabelece a conclusão do empreendimento para março de 2023. Contudo, segundo Fonseca, a empresa está  envidando esforços para uma significativa antecipação da energização do sistema e sua entrada em operação. Todos os contratos estão em fase de assinatura. Parte do pessoal a ser utilizado é especializado e próprio dos construtores e a outra parte será viabilizada por contratações locais. A obra prevê a implantação de 587 km de linhas de transmissão e geração estimada de 1.525 empregos diretos.

A Sterlite Power, que arrematou  o lote 13, afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que o projeto básico está em fase de desenvolvimento, assim como as reuniões recomendadas pelo ONS  com o órgão ambiental estão sendo realizadas,  dentro do prazo regulatório e de acordo com as recomendações dos órgãos responsáveis. “As próximas etapas, nas quais estamos trabalhando, envolvem o desenvolvimento dos estudos ambientais para a obtenção das licenças necessárias para que as obras sejam iniciadas. Seguimos dentro do cronograma e seu prazo para entrega, também segundo a Aneel, é março de 2023”.

A CPFL, vencedora do lote 11, e a Neoenergia, vencedora do lote 14, não retornaram às ligações da Modal.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui