Dada largada para o maior voo do aeroporto Salgado Filho em quase sete décadas

0
980
Crédito: Infraero

Bastaram 40 minutos, quatro discursos e algumas pás de cimento depositadas sobre a montagem de uma estaca de concreto para que o aeroporto de Porto Alegre ingressasse de forma efetiva no padrão de excelência mundial. Um destino sem retorno. A agilidade observada na cerimônia de descerramento da pedra fundamental, que marcou o início das obras de ampliação do Aeroporto Internacional Salgado Filho, realizada hoje (22), serviu para representar, simbolicamente, o fim de uma espera de mais de duas décadas por uma estrutura moderna, ampla, segura e confortável.

As obras começaram de fato três semanas atrás em duas frentes: a demolição do antigo prédio do Terminal 1 (conhecido como puxadinho, no qual a Infraero investiu cerca de R$ 20 milhões) e a construção de uma nova subestação alimentadora. Elas iniciaram exatamente um ano após a Fraport AG Frankfurt Airport Service ter vencido o leilão de concessão para operar o aeroporto gaúcho pelos próximos 25 anos.

Em outubro de 2019, os passageiros já poderão usufruir os primeiros benefícios, com a abertura do novo terminal, construído na mesma área do antigo.

Salgado Filho-1

Corrida contra o tempo

De acordo com Andrea Pal, CEO da Fraport Brasil, o valor de R$ 1,5 bilhão anunciado será aplicado na fase 1B, que contempla as obras de expansão, contratação do consórcio HTB Engenharia e Construções, Tedesco e Barbosa Mello, responsável pela execução, a compra de equipamentos, além do desenvolvimento e a gestão do projeto. “Fizemos o impossível para, em 12 meses, cumprir todas as exigências da concessão”, comentou a executiva, acrescentando que este trabalho envolveu uma equipe formada pela Fraport alemã, Fraport Brasil e consultores.

Detlef Dralle, diretor presidente da HTB Engenharia e Construção, ressaltou em nome do consórcio, que espera concluir as obras dentro da meta, do prazo e com qualidade. “Estamos vivendo um momento feliz. Pode contar com a gente. A gente vai dar certo”, disse em um português perfeito. De acordo com ele, a fase 1B vai gerar mil empregos diretos e 200 indiretos. “Depois de pronto, a sensação dos usuários do aeroporto vai mudar”, aposta. A extensão da pista em mais 920 metros está prevista para ser concluída em 2021.

Investimentos significativo, diz Sartori

Ainda conforme o diretor presidente da HTB, o Terminal 2, usado para voos domésticos, não faz parte do programa obrigatório da Fraport. “Pelo que sei, eles pretendem manter em uso. É uma avaliação que a Fraport precisa fazer”, explicou Detlef Dralle, elogiando a posição do governo federal que optar por fazer uma licitação que privilegiou empresas especializadas.

“A Fraport com certeza colocará sua expertise no Salgado Filho”, concluiu. Os planos da empresa alemã preveem investir também em um terminal de cargas, construir um novo prédio-estacionamento, instalar um novo sistema automático de gerenciamento de bagagens e implementar novas pontes de embarque de aeronaves e Wi-Fi de alta velocidade.

“Estamos diante de um dos cinco investimentos de grande significado para a economia gaúcha na última década. Não estou falando somente do montante de recursos, mas principalmente, do efeito multiplicador de benefícios, como logística, emprego, geração de renda, atração de turismo e de negócios”, disse o governador José Ivo Sartori durante seu pronunciamento, dizendo-se honrado, como governador, participar desse momento histórico. “Acredito que estamos presenciando a introdução de um padrão de excelência e eficiência que mobiliza todo o entorno do aeroporto Salgado Filho”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui