Em um ano meio, Vaccaro Construtora (SC) acumula 23,45 MW em obras de centrais hidrelétricas

0
630
PCH Barra das Águas/Divulgação

Uma nova empresa começa a se destacar em Santa Catarina em empreendimentos de centrais hidrelétricas. Trata-se da Vaccaro Construtora Ltda., especializada em gestão e execução de obras hidráulicas.

Com DNA do grupo Vaccaro, de Xaxim (SC), que opera há mais de 25 anos em vários ramos de atividade, desde o agronegócio até construção civil, além de participar como sócia em 13 unidades equivalentes a 111,37 MW de potência instalada, ela iniciou suas atividades no final de 2018 e até o momento entregou um total de 23,45 MW correspondentes a quatro unidades, devendo concluir a quinta obra ainda neste ano.

“Como investidora em usinas, a Vaccaro Construtora levou ao mercado uma visão diferenciada que explica a sua rápida ascensão no segmento de execução e gerenciamento de obras de centrais hidrelétricas”, disse a MODAL o engenheiro civil, Fábio Rigatti, gerente de contratos da Vaccaro.

Depois de concluir as CGHs Laje de Pedra, de 3 MW, localizada em Concórdia, enquadrada no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (REIDI),  e Bom Jesus, de 1,45 MW, de Caçador, a empresa finalizou , em novembro do ano passado, a PCH Barra das Águas, com 8,5 MW de potência instalada, localizada no rio Irani, linha Vila Nova no município de Faxinal dos Guedes (SC). A unidade teve 100% de sua produção vendida no Leilão A-6 de 2019.

Ainda na espera da LO, a Vaccaro deve iniciar em seguida a operação da PCH Itapocuzinho II, de 11,7 MW, instalada no rio Itapocuzinho, afluente do rio Itapocu, na divisa entre os municípios de Jaraguá do Sul e Joinville. A PCH Âmbar, de 5,1 MW, de potência instalada situada em Romelândia, no momento na fase de construção de túneis, é mais outra unidade a ser finalizada no primeiro semestre de 2021, elevando seu portfólio  para 29,75 MW

Além de atuar na engenharia do proprietário e execução das obras civis das centrais hidrelétricas, a empresa também participa como sócia dos empreendimentos, todos direcionados ao mercado livre à exceção da PCH Barra das Águas, que foi liberada para entrar em operação pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 29 de maio.   

De acordo com o biólogo, Osvaldo  Onghero Júnior, da empresa Desenvolver-Meio Ambiente, a APP da PCH Barra das Águas ocupa uma área total de 102,46 hectares, dos quais 53,65 estão atualmente cobertos por vegetação arbórea nativa e 48,81 foram recuperados. Até o momento, mais de 28.000 mudas de espécies nativas e ameaçadas de extinção foram plantadas.

Devido à existência de barreiras naturais intransponíveis em trechos mais a jusante e de empreendimentos hidrelétricos já implantados, não houve a necessidade de implantação de sistema de transposição de peixes, acrescentou Onghero.

Localizado na região oeste do estado, o rio Irani apresenta 213 Km de extensão e possui a nascente no município de Água Doce na altitude de 1.200 metros, enquanto sua foz junto ao rio Uruguai, entre os municípios de Chapecó e Paial,  alcança 200 metros. Ao todo, o rio conta com 11 projetos em desenvolvimento, seis em operação e duas unidades em repotenciação.

O clima da região é classificado como temperado úmido, com temperaturas médias de 22ºC, podendo chegar a temperaturas negativas durante o inverno. A precipitação média anual varia entre 1.300 a 1.900 mm.

A integração da usina ao SIN (Sistema Interligado Nacional) é feito por uma linha de transmissão em 23kV, com 18,80 km de extensão, que conecta a subestação da PCH Barra das Águas à SE Faxinal dos Guedes.

 

 

 

 

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui