Falta de competitividade de projetos eólicos do RS tem solução

0
962

A falta de uma política de desenvolvimento capaz de atrair fábricas de equipamentos como torres, aerogeradores e naceles  ( compartimento que abriga todo o mecanismo do gerador), é apontada como um dos fatores da falta de competitividade dos projetos gaúchos de energia eólica nos leilões promovidos pelo Ministério de Minas e Energia.
Dos 15 certames realizados até o momento, o Rio Grande do Sul arrebatou apenas 12,4% do total, o correspondente a 1.810,90 MW, diante de 86% da região Nordeste, correspondente a 12.547,5 MW.  Pelo menos essa é a opinião do empresário Ricardo Pigatto,  presidente da Avir Geração de Energia S.A., de Porto Alegre.
Pigatto, que é sócio de dois projetos de energia eólica no Rio Grande do Sul, atribui o sucesso dos estados do Nordeste nos leilões de energia a  três fatores.  O primeiro deles à política de incentivos fiscais para as empresas fabricantes de equipamentos. O segundo, as linhas de crédito favorecido, e o terceiro ao menor custo de licenciamento ambiental.
Enquanto o Rio Grande do Sul, por meio da Fepam, cobra R$ 1,4 milhão para a emissão de  Licenças Prévias (LP) e  de Instalação (LI), estados como o Rio Grande do Norte cobra R$ 23,8 mil; Alagoas R$ 49,3 mil Minas Gerais, R$ 27,7 mil e assim por diante. “O Rio Grande do Sul tem hoje 5.000 MW de projetos com CNPJ para disputar em leilões de energia eólica, o correspondente a R$ 30 bilhões em investimentos”, diz Pigatto. “ Ocorre que  esses empreendedores acabam em desvantagem nos certames em comparação aos projetos dos estados do Nordeste, que podem praticar tarifas mais baixas graças às vantagens competitivas, como os preços de equipamentos, crédito e outras despesas.”   Em sua opinião, o Rio Grande do Sul tem potencial para desenvolver um cluster de energia, o que depende apenas de um programa de desenvolvimento. “Além do potencial de ventos, o estado tem ainda um potencial de mais de 1.000 MW de PCHs”, completa.         

 

                                 Custo de Licenciamento – LP + LI (R$)                    Termelétrica                                                     Eólica

AL 28.397,73 49.326,43
ES 72.632,31 72.632,31
MG 130.720,84 27.796,97
PA 53.533,76 45.886,17
PR 7.031,20 7.031,20
RN 39.181,35 23.814,36
RS 918.813,00 1.434.100,50
SC 69.395,39 51.395,21
Fonte: Avir S.A.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui