Governo gaúcho apresenta estudo para edital de concessão que prevê R$ 10,6 bi de investimentos em rodovias

0
145

O governo do RS e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concluíram o estudo prévio para o futuro edital de concessão de 1.131 quilômetros de rodovias estaduais à iniciativa privada. Estão previstos investimentos de R$ 10,6 bilhões nos 30 anos, dos quais R$ 3,9 bilhões somente nos cinco primeiros anos.

As estradas foram divididas em três lotes e o critério adotado para a divisão focou em proximidade geográfica. A expectativa é de que o edital seja publicado até o fim de setembro deste ano.

A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), que atualmente administra a maioria das estradas que integram o pacote, será extinta quando as empresas vencedoras dos leilões assumirem os lotes das rodovias.

O projeto prevê a duplicação de 73% da malha viária com pista dupla ou tripla, 808,6 quilômetros de acostamentos, 831 adequações em acessos, manutenção frequente do asfalto, ampla sinalização, segurança para pedestres, socorro mecânico e médico 24 horas entre outros serviços.

AS rodovias

  • Bloco 1 (abrange 13,3% da população do RS):
    ERS-020, ERS-040, ERS-115, ERS-118, ERS-235,
    ERS-239, ERS-466 e ERS-474
  • Bloco 2 (17,5% da população):
    ERS-128, ERS-129, ERS-130, ERS-324, RSC-453 e ERS-135 +
    BR-470
  • Bloco 3 (12,6% da população):
    ERS-122, ERS-240, RSC-287, ERS-446 e RSC-453 + BR-470

Consultas públicas on-line
O governo receberá sugestões e contribuições da população para aprimorar a futura concessão por meio de consultas públicas. Os interessados deverão realizar suas contribuições mediante o preenchimento do “formulário de contribuições”, que está disponível no site parcerias.rs.gov.br/rodovias.
O formulário preenchido deve ser encaminhado para o e-mail consultarodovias@spgg.rs.gov.br, destacando no campo “assunto” o bloco a que se referem as contribuições. A data limite para as contribuições é 18 de julho de 2021. As sugestões serão respondidas pelo corpo técnico do governo do Estado. Audiências públicas também serão realizadas em datas a serem definidas.

Praças de pedágio:
O estudo de viabilidade apontou a necessidade de 22 praças de pedágio. Atualmente, nas estradas que serão concedidas, existem nove praças em operação pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR).

Tarifas:
O valor das tarifas será definido somente no leilão, com expectativa de realização em dezembro deste ano. O estudo do governo e do BNDES apontou valores máximos e mínimos conforme o perfil do trecho da rodovia onde cada praça de pedágio está inserida. Se a rodovia tem mais trechos simples do que duplicados, a tarifa é 30% menor que a tarifa de pista dupla. Se ocorrer o inverso, a tarifa é mais alta.
A base do cálculo definiu um valor fixo de pedágio para todas as praças de cada bloco, somado a isso, acrescentou um valor variável. Este ponto está atrelado ao trecho de cobertura da praça de pedágio (TCP), que é diferenciado entre pista simples e dupla, resultando na média financeira do trecho.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui