Itajui, do setor de saneamento, investe em geração de energia com modelo de pré-investimento da Economizenergia

0
373
Rio Pirapó

Prevista para ser instalada a 26 km a partir da foz do rio Pirapó, na região Norte do estado do Paraná, próximo à divisa com o estado de São Paulo, a PCH Córrego Fundo está com seu início de obras marcado para agosto próximo. O aproveitamento, considerando toda a extensão de seu reservatório, localiza-se nos domínios territoriais de três municípios: Colorado, Paranacity e Paranapoema.

A entrada em operação comercial está prevista para agosto de 2023, com duas unidades geradoras de 5.000 kW, totalizando 10.000 kW de capacidade instalada;  vertedouro livre e controlado; sistema de transmissão de interesse restrito com transformadores de potencial monofásicos junto à usina. E uma Linha de Transmissão em 34,5 kV, com cerca de 23 km de extensão em circuito expresso, interligando a usina ao Bay 34,5kV  da Subestação Elevadora Colorado 138kV, da Copel.

A Licença Ambiental da PCH Córrego Fundo estabelece que, em torno do seu reservatório, deverá ser mantida uma faixa de 57,5 m de largura, assegurando assim o repovoamento com espécies nativas de flora e fauna, sua conservação, manutenção e vigilância constantes nesse perímetro de Área de Preservação Permanente (APP).

O projeto marca o ingresso no segmento de geração de energia  da Itajui Engenharia de Obras, do setor de saneamento, de Curitiba (PR),  por meio da SPE Córrego Fundo Energia Ltda.

Maior executora de obras de saneamento do Sul do Brasil, a empresa em mais de trinta anos empreendeu construções públicas e privadas tais como estradas, aeroportos, indústrias, terraplenagens de grande porte e obras de saneamento. Atualmente atua também no mercado de incorporação e construção imobiliária, planejando e executando empreendimentos residenciais.

Com investimento estimado em R$ 87 milhões, cujos recursos serão bancados pelos acionistas, a implantação da unidade foi antecipada por um cronograma que permitiu ao empreendedor realizar todos os estudos específicos necessários antes de comprometer seu capital.

De acordo com André Paulo Varassin, sócio-administrador da SPE, a  consultoria Economizenergia, de Curitiba, modelou  financeiramente o projeto  apresentado ao BRDE para captação da parcela de pré- investimento  estimada  em  R$ 3,6 milhões, com prazo total de 96 meses e 24 de carência.

Julien Dias, diretor da consultoria, explicou  que esse tipo de financiamento permite ao empreendedor não se descapitalizar na fase de desenvolvimento, nem seja onerado com taxas de juros, enquanto o projeto ainda não apresentar as condições necessárias para enquadramento numa linha de financiamento para implantação.

“O mercado atual está cada vez mais atrativo para  projetos de geração de energia que estejam ready to build, ou seja, com as questões fundiária, ambiental, de conexão e de comercialização de energia equacionadas”, acrescentou  Emilson Costa Lima , da Economizenergia .

No momento, segundo Dias,  o principal serviço em execução da consultoria  é a modelagem financeira para auxiliar o desenvolvedor na tomada de decisão sobre sua participação nos leilões de energia.  Isso inclui a definição do preço alvo e do volume de comercialização necessário para viabilidade do financiamento do projeto, além de estudos sobre a taxa interna de retorno (TIR).

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui