Norte Administração anuncia o início de obras da PCH Fazenda Cachoeira em Minas Gerais, dirigida ao segmento de GD

0
543
PCH Fazenda Cachoeira é mais uma obra da Norte Administração

Uma grande mobilização de equipamentos de escavação entre os municípios de Pedro Teixeira e Juiz de Fora (MG) vem chamando atenção dos moradores locais, onde será construída a CGH Fazenda Cachoeira, de 2,2 MW, a ser destinada ao segmento de Geração Distribuída.

A obra é mais um empreendimento da Norte Administração e Finanças, de Águas Frias, (SC), que irá demandar cerca de R$ 25 milhões de investimentos de recursos  próprios dos empreendedores. Na SPE criada para administrar o negócio, a Norte deverá participar com 25%, com o restante de investidores privados.

Com a CGH Fazenda Cachoeira, que tem prazo de conclusão para dezembro deste ano, a Norte dá continuidade ao seu projeto de expansão de negócios, com o objetivo de tornar-se uma investidora em âmbito nacional.

Até o momento, a empresa contra com 36 MW em operação em quatro PCHs, todas localizadas em Santa Catarina.

Ainda em abril deste ano, a empresa deverá concluir a construção da CGH Salto Formoso, de 0,47 MW, localizada no Rio Formoso, na Bacia do Paraíba do Sul, entre os municípios de Paiva e Aracitaba, em Minas Gerais.

Além dessa unidade, a empresa está participando da fase de implantação da PCH Jambo, de 14,00 MW, em Santa Maria Madalena, e prospectando o início de uma CGH, de 5,0 MW, no estado do Rio de Janeiro, e mais a CGH Couro de Cervo, de 0,9 MW no estado de Minas Gerais.
Já no estado de Santa Catarina a empresa faz gestão da implantação da CGH Barra da Europa, de 4,6 MW, localizada no Rio Pesqueiro/Rio Burro Branco, e participa da PCH Alto Garcia, de 2 MW, localizada no Rio Garcia, em Angelina, e prospecta para 2022/2023 a PCH Nova Erechim, de 24 MW, a ser instalada no Rio Chapecó, entre os municípios de Águas Frias e Nova Erechim.

Ao total, a Norte deverá alcançar uma participação em potência instalada de 69,1 MW até o final de 2022 e meados de 2023. Somente nas seis novas usinas serão investidos cerca de R$ 225 milhões, nos quais, em média, a empresa deverá participar com um capital correspondente a 25%, com o restante de acionistas formados por diversos profissionais de diferentes segmentos.

Mas o alvo dos investimentos da Norte não devem se restringir à fonte hídrica, relata Rousty Rolim de Moura, CEO da empresa. “Planejamos essa expansão em novas unidades com o objetivo de tornar a Norte uma empresa sólida que garante eficiência e retorno aos acionistas”, diz Moura que prevê o início de estudos de projetos nos setores eólico e fotovoltaico.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui