Revista Modal passa a ser a mídia oficial do Compech

0
248
Paulo Sérgio da Silva, coordenador do Compech/ Foto/Divulgação/ João Alves

O portal revista Modal, que edita a newsletter mensal Modal-Energia, passa a ser a mídia oficial do Comitê de Monitoramento à Implantação do Programa Gaúcho de Incentivo às Pequenas Centrais Hidrelétricas (Compech), cuja missão é monitorar e acompanhar pelo lado do empreendedor e da cadeia de fornecedores a efetiva realização de todos os projetos de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) no RS.

Para Paulo Sérgio da Silva, coordenador do Compech, dispor da Revista Modal como órgão de divulgação oficial do Comitê será de grande importância, principalmente pelos grandes desafios à frente, entre esses o 4º Seminário sobre o Potencial das Pequenas Centrais Hidrelétricas na matriz energética do Brasil, previsto para julho próximo.

De acordo com Silva, o RS possui um dos maiores potenciais de geração hídrica de energia do país, estimado em cerca de R$ 10 bilhões. Hoje está em andamento no estado perto de R$ 5 bilhões de investimentos em PCHs e GHs, o correspondente a 600 MW, ou 15% da demanda média gaúcha. Do total de 122 projetos encaminhados à Fepam, nove já estão em construção, com os demais ainda em fase de licenciamento.
Frente Parlamentar Pró PCH

Com reuniões mensais de trabalho, o Comitê desempenhará o papel de interface com a Frente Parlamentar de Apoio às Pequenas Centrais Hidrelétricas do RS, a ser instaurada oficialmente no início de fevereiro e que terá como presidente o deputado Ernani Polo. Entre seus objetivos estão a definição de pautas de interesse do setor junto ao Poder Legislativo e o diálogo como os demais poderes.
Plataforma de negócios

Ainda neste ano, o Comitê deverá instalar  três  subcomitês que irão estudar e desenvolver estudos para a liberação de outros cursos de rios, de grande potencial e vocação para a geração de energia, mas que hoje são considerados inviáveis.

Também, ainda dentro da estrutura do Compech, está sendo desenvolvida uma plataforma de negócios que irá permitir o acesso a toda a cadeia de fornecedores do setor e dos projetos recepcionados com licenças de instalação pela Fepam, em um único local. “Acreditamos que esta plataforma será de grande utilidade para o setor, agilizando e minimizando custos de investimento e implantação”, diz o titular do Compech.
Integrantes do Compech

Atualmente, o conselho de monitoramento de PCHs é integrado pelos empreendedores, investidores, cadeia de fornecedores do setor, entidades de classe e entidades e instituições especialmente convidadas, como: Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), Federação da Agricultura do RS (Farsul), Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), Secretaria Estadual do Meio (SEMA), Sociedade de Engenharia do RS, Secretaria do Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (SDECT), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul S.A. (Badesul), entre outras.

“Nossa atuação é restrita ao RS, mas poderemos estudar no futuro atuar em outros estados, pois a cadeia setorial encontra-se espalhada em várias unidades da Federação”, afirma Silva.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui