RottaEly projeta 2019 como o melhor ano de sua história

1
711
Pedro Ely/ Foto/Divulgação

O ambiente na sede da RottaEly Construções e Incorporações Ltda., de Porto Alegre, é de otimismo. Além da eleição de um presidente da República considerado pró-mercado, o que por si só mudou astral dos empreendedores, existem bons motivos para iniciar o ano a toda a carga.

Para começar há um cenário bem diferente dos dois anos anteriores, período em que a empresa realizou lançamentos considerados modestos de R$ 50 milhões de VGV. O objetivo agora é desovar no biênio 2019/2020 um total de R$ 450 milhões de VGV ( R$ 220  milhões em 2019 e R$230 milhões em 2020), alicerçados no land bank da empresa. Com vendas de R$ 65 milhões em 2018, o que representou um incremento de 45% em comparação ao ano anterior, a meta neste ano é mais do que dobrar as receitas que devem ficar em R$ 150 milhões.

Pedro Ely, diretor comercial e financeiro da empresa, está confiante no desempenho da incorporadora naquele que poderá ser o melhor ano de vendas de sua história, que se iniciou no ano 2000.  “Nossa expectativa é otimista, sobretudo devido ao local dos imóveis a serem lançados em bairros nobres com demanda constante”, afirma. “A ideia é consolidarmos um land bank nesses bairros que já apresentam uma infraestrutura de serviços condizente com aquilo que os clientes almejam”.

Um exemplo dessa linha da empresa é o empreendimento, ainda sem nome, previsto para a Rua Cipó, próximo ao Zaffari Bourbon e o Jardim Europa, com VGV de R$ 80 milhões, a ser lançado em abril. O projeto prevê uma generosa infraestrutura com piscina, fitness, digital kids e salão de festas. Tendo como alvo pessoas solteiras e recém -casadas, as unidades de 45 metros quadrados serão comercializadas ao preço de R$ 370 mil; as de 60 metros quadrados, R$ 550 mil e as 85 metros quadrados a R$ 700 mil. “Em seis meses, nossa expectativa é de comercializar pelo menos 30% das unidades”.

O maior lançamento do triênio (2019/2020/2021), com VGV de R$ 250 milhões, mantém-se em sigilo.  O único dado aberto é de que será na Rua Salvador França, bairro Jardim Botânico,  previsto para o segundo semestre.

Ainda em 2019, a  RottaEly  deverá concluir o Greenwich Business Center, grande vencedor do Prêmio Sinduscon, em 2016, como Produto do Ano na categoria de empresas de médio e pequeno porte, que encerrou 2018 com cerca de 90% das unidades vendidas.  Outros três empreendimentos também serão concluídos neste ano: Libris, no bairro Santana; Cobalto, localizado na parte alta da Miguel Couto;  e Tom, que homenageia o maestro Antônio Carlos Jobim, no Menino Deus, com 15 andares e quatro imóveis por andar.

“Perseguimos a criação de produtos de estéticas diferenciadas e aderentes às histórias dos bairros onde estão localizados”, diz Ely ao comentar sobre a essência da incorporadora que iniciou suas atividades com a construção do campus da ESPM, em meados dos anos 2000.    Em 2020, em que a RottaEly, empresa controlada pela família do mesmo nome, completará 20 anos de fundação, Pedro Ely não deixa por menos a projeção de vendas. “ A meta é alcançamos R$ 200 milhões”, afirma.

Até o final de 2018 foram construídos pela RottaEly um total de 105 mil m². Estão em construção 50 mil m². Neste ano serão entregues 17 mil m² e, em 2020, 23.309,24 m.

 

1 COMMENT

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui