Rumo (ex-ALL) quer acabar com o acesso do RS ao Mercosul por ferrovia

0
2015
Foto/Divulgação

Bastaram poucos minutos para que o novo diretor comercial da empresa Rumo (ex-ALL) para a região Sul, Luís Fernando Neves, caísse em descrédito diante dos principais representantes de entidades empresariais do Rio Grande do Sul, na quinta-feira, 17 de agosto, durante reunião na Secretaria dos Transportes. Além de admitir desconhecer o estudo desenvolvido pelo grupo de trabalho criado pelo governo do estado sobre o modal ferroviário do RS, a Rumo, por meio de seu representante comercial Germano Dantas, anunciou  o início de estudos para a descontinuidade da linha Cacequi-Uruguaiana, único acesso do Brasil à Argentina por ferrovia.
A medida, segundo Neves,  está em desenvolvimento em razão da insuficiência de carga naquele trecho. Em resposta a essa afirmação, os representantes das entidades empresariais mostraram que a demanda por ferrovia está sendo feita por caminhões, por via rodoviária, o que incide em maiores custos para os produtores, sobretudo do setor agrícola.

Posição do governador
Decepcionados com a indiferença da empresa às reivindicações do Rio Grande do Sul, as entidades empresariais deverão formalizar ao governador do estado, José Ivo Sartori, o pedido de um posicionamento sobre o assunto, diante da perspectiva de a empresa obter a prorrogação de sua concessão, que venceria em 2028, para 2058. “A ideia é recorrer ao Ministério Público e à Agência Nacional de Transporte Terrestre (Antt), para que a empresa, ou se comprometa a investir em sua infraestrutura no estado, ou não tenha renovado a sua concessão”, disse fonte da área empresarial a Modal. “De nossa parte, estão encerradas as negociações com a empresa”.

Grupo de trabalho
Por determinação do governador  José Ivo Sartori, o grupo de trabalho sobre o modal ferroviário foi criado em outubro do ano passado, sob coordenação da Secretaria dos Transportes, com o objetivo de apontar prioridades no modal ferroviário e sugerir medidas para o desenvolvimento da intermodalidade.   O estudo identificou entraves estruturais e de operação nos serviços da ex- ALL no RS. Entre esses, a falta de modernização, abandono de grande parte da malha ferroviária (35%); defasagem tecnológica; baixo padrão de produtividade e volume transportado decrescente.

A ALL- América Latina Logística do Brasil S.A. passou a se chamar Rumo em fevereiro de 2015, quando a fusão das duas empresas foi aprovada pelo Cade, envolvendo a formação de uma empresa avaliada em cerca de R$ 11 bilhões.    A Rumo, do grupo Cosan, atua no mercado de serviços de logística multimodal para exportação de açúcar pelo porto de Santos.

A ALL obteve a concessão da malha sul pertencente à Rede Ferroviária Federal S.A. no leilão realizado em 13 de dezembro de 1996. A outorga desta concessão foi efetivada por decreto presidencial de 21 de fevereiro de 1997. A empresa iniciou a operação dos serviços públicos de transporte ferroviário de cargas, na região Sul, em março de 1997.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui