UTE Cambará recebe LI para a construção de linha de transmissão e planeja início de obras ainda para este semestre

0
379
Local onde a UTE Cambará será instalada

Sessenta dias depois que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em resolução autorizativa em favor da UTE Cambará, declarou de utilidade pública a área de terra de 32m de largura, necessária à passagem da Linha de Transmissão, circuito simples, 138 kV, com aproximadamente 41,1km de extensão, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) emitiu a Licença de Instalação (LI), que vai permitir o início das obras daquele empreendimento.

A LT interligará a Subestação UTE Cambará  à  Subestação São Francisco  de Paula,  localizadas nos municípios de Cambará do Sul  e São Francisco de Paula.  O pedido de  Licenciamento de Instalação da LT havia sido encaminhado pela empresa ao órgão ambiental  ainda em 20 de setembro do ano passado.

Vencedora no leilão A-6, de dezembro de 2017, a obra de 50 MW ( com data de início de operações em janeiro de 2023), que utilizará biomassa de madeira como combustível, irá demandar investimentos de R$ 320 milhões, com recursos por meio de financiamento externo complementado por recursos nacionais. Somente as obras da linha de transmissão são estimadas em cerca de R$ 30 milhões. A unidade será viabilizada por meio de uma parceria da Omega Engenharia, de Porto Alegre,  com a Urbana, do grupo Moinho Estrela, de Canoas (RS).

Com contratos de energia de 25 anos comercializados no Leilão de 2017 e tecnologia nacional, o empreendimento devera gerar cerca de 400 empregos diretos durante a fase da obra e 40 na operação.

Carlos Eduardo Trois de Miranda, diretor da Omega Engenharia Miranda, lembra que empreendimentos como o da UTE Cambará mudam o perfil de desenvolvimento de municípios a partir do incremento da oferta de emprego e demanda por serviços de qualidade.   Além dos investimentos, o projeto deverá viabilizar receitas entre RS$ 17 milhões e R$ 32 milhões por ano aos cerca de 20  fornecedores de madeira da região, que além de Cambará do Sul inclui municípios como Jaquirana, Bom Jesus e São Francisco de Paula.

“Ainda não decidimos quando iniciaremos as obras da LT, na medida em que ainda é preciso concluir detalhes com fornecedores e a parte societária, mas deve ser neste semestre”, disse Miranda a MODAL.

 

 

 

 

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui