Ventos do Atlântico cadastra para o leilão de energia projeto que reúne as características onshore e offshore

0
420
São José do Norte

Os leilões de energia A-4 e A-5, marcados para o dia de 8 deste mês, deverão contar com a concorrência de um projeto único que reúne as características onshore e offshore, dada as proximidades com o oceano Atlântico, de um lado, e de outro a Laguna dos Patos.

Desenvolvido pela empresa Ventos do Atlântico Energia Eólica S.A (VDA), de Porto Alegre, o empreendimento de 516 MW de potência instalada está previsto para o município de São José do Norte,  correspondente a um investimento de cerca de R$ 4 bilhões. A poligonal licenciada é uma área de 15.800 hectares. O projeto está com a Licença Prévia vigente, com pedido de Licença de Instalação junto ao órgão ambiental.

De acordo com a avaliação do mercado, os  resultados existentes mostram que a energia eólica offshore é mais uniforme e disponível do que a energia eólica onshore. Isso porque os ventos offshore são normalmente mais fortes durante o dia, permitindo uma produção de energia mais estável e eficiente quando a demanda do consumidor está em seu pico. A maioria dos recursos eólicos terrestres são mais fortes à noite, quando a demanda por eletricidade é menor.

Pertencente à família Azevedo, controladora da Florestadora Palmares Ltda. ( Flopal), que atua  nos municípios de Palmares do Sul, Mostardas, São José do Norte, Rio Grande e Santa Vitória do Palmar, no litoral médio e sul do RS, a VDA surgiu em 2011 com potencial estimado em 800 MW. Atualmente,  a Enerfín/Elecnor  opera o Parque eólico de Palmares, em uma das fazendas da Flopa, com 25 torres e capacidade nominal de 50MW.

Além de sua característica de conciliar os ventos da energia eólica offshore e onshore,  o projeto da VDA  é reconhecido como de alta relevância social em razão de localizar-se no município de São José do Norte, que detém um dos menores IDH do RS e que ainda vive sob o impacto da descontinuidade dos projetos de expansão dos estaleiros, que resultou em uma grave crise social, com desemprego e perda de receita da prefeitura local.

Luiz Elody Lima Sobreiro, diretor da VDA, lembra que a região detém grande potencial de energia eólica. No caso do projeto da empresa, a conexão será feita por uma linha de transmissão do local de instalação do parque eólico até a subestação de Povo Novo, pertencente à Transmissora  Sul Litorânea de Energia S.A.,  distante 59 K

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui