Titular da Sema chama empreendedores de projetos eólicos para discutir entraves

0
34
Secretária Ana Pellini/Foto/Divulgação

Um dos entraves no processo de licenciamento ambiental de projetos eólicos no Rio Grande do Sul é a inclusão de áreas que excedem os limites do empreendimento, o que torna o processo mais demorado e dispendioso para os investidores, relata a secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema), Ana Pellini, em entrevista à Modal.  “Grande parte dos projetos inclui áreas enormes, o que resulta em mais custo”, acrescentou a titular da Sema que pretende discutir  com os empreendedores a fim de que sejam eliminados esses entraves. “O que nos deparamos com esses projetos é de que falta foco  na atividade a ser licenciada”, reitera.

De acordo com Pelini, a Fepam (Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler) vem atuando com agilidade na emissão de licenciamentos apesar da existência projetos com áreas muito acima daquelas que serão reservadas para os empreendimentos.

Do potencial de projetos eólicos a ser instalado no estado, correspondente a 8.417,8 MW (8,5 Gigawatts),  23 empreendimentos já possuem licença prévia ou de instalação, o correspondente a  3.600 MW (3.6 Giga). Enquanto outros 23, totalizando aproximadamente 4.200 MW (4.2 Giga), estão em análise ou aguardando análise, isto é, não possuem nenhuma licença até o momento (LP ou LI). A maioria dos processos para geração de energia eólica em análise ingressou na Fepam nos últimos dois anos.
Atualmente a potência instalada de energia eólica no RS é de 1.729,8 MW.

A tabela abaixo mostra os dados gerais atualizados sobre os empreendimentos eólicos em licenciamento na Fepam.

 

       
Empreendimentos  Capacidade instalada Capacidade potencial
Nº Emptos. Potência (MW) Nº Emptos. Potência (MW)
Licenças Emitidas 55 1.729,8 23 3.600,5
Processos em Análise 23 4.218,6
Total: 55 1.729,8 46 8.417,8

Dados em 16/10/2018

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui