Creral, com a UTE São Sepé, abre o caminho para o avanço da biomassa como fonte energética no RS

0
47
Alderi do Prado, presidente da Creral, no 3º Seminário de Centrais Hidrelétricas/ Foto/Revista Modal

Alderi do Prado, presidente da Creral, (Cooperativa Regional de Eletrificação Rural do Alto Uruguai), com sede em Erechim, no 3º Seminário O Potencial das Centrais Hidrelétricas, em 20 de dezembro de 2018, apresentou um histórico da construção da usina termelétrica, de 8 MW, inaugurada no dia 18, no quilômetro 2 da RS 149, em São Sepé – a primeira do RS de biomassa como combustível conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Com linhas de financiamento do BRDE/BNDES, Sicredi e Cresol, o empreendimento demandou recursos de R$ 60 milhões, reunindo os seguintes empreendedores: Creral, Ceriluz, Erechim Energia, BR Energia Renovável,  Energia 203 e Minozzo Participações.

Uma história de cinco anos
“Essa é uma história de cinco anos”, disse Prado ao lembrar o dia 4 de setembro de 2013, quando, juntamente com o diretor da Enerbio, empresa responsável pela obra, engenheiro Luiz Antônio Leão, fez a apresentação da Creral ao prefeito de São Sepé, Leocarlos Gazzoni Girardello.

Em seguida, no dia 18, do mesmo mês, a Creral apresentou o seu projeto de construção de usina, tendo como combustível a casca de arroz. Após a compra do terreno de 8 hectares, em fevereiro de 2014,  a Cooperativa, em 30 abril, apresentou formalmente seu projeto à comunidade durante o Seminário Regional – Desenvolvimento em Pauta.

Já em novembro de 2014, a Fepam concedeu a Licença Previa (LP) e em junho de 2015 a Licença de Instalação (LI).  Em 21 de agosto de 2015, veio a notícia que todos esperavam: vitória da Creral  no leilão A-3 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em 15 de agosto de 2016 foram iniciadas as obras da usina que reuniu cerca de 250 empresas fornecedoras, correspondendo a 500 empregos diretos.

O empreendimento
Ao total, serão consumidas 70 mil toneladas ano de casca de arroz oriundas de sete fornecedores dos municípios São Sepé, Formigueiro, Caçapava do Sul, Restinga Seca, Vila Nova do Sul, São Pedro do Sul, Mata e São João do Polêsine. O empreendimento reúne 32 postos de trabalho, com geração de R$ 1,062 milhão por ano de impostos.  Para a conexão ao Sistema Interligado Nacional (SIN) foi instalada uma linha de transmissão de 2 km com 269Kv, além da ampliação da subestação existente, da RGE Sul, o que atraiu mais R$ 16 milhões em investimentos.

Segundo Luiz Antônio Leão, presidente da Enerbio, o estado, como maior produtor de arroz do país, tem todas as condições para avançar com essa fonte de energia com poder calorífico de 3.200 Kcal/ kg, igual ao do carvão mineral, com a vantagem de não ser poluente com o enxofre e nitrogênio. “Além disso, ela contribui para minimizar o problema da disposição inadequada na natureza e possibilita uma fonte de renda para o gerador, agregando valor à produção”.

Novo projeto
Atualmente, a Creral Geração opera quatro PCHs, sendo, duas próprias e duas em sociedade com empreendedores com 1.845 quilômetros de redes, 20,620 postes e 2362 transformadores instalados. Ao todo, são 7.189 consumidores (78,66% classe rural) 4.438.009 kWh/mês de energia vendida, 617  kWh/mês é a média por consumidor.

Ainda em 2018, a Creral iniciou estudos para a construção de uma usina na mesma linha da UTE São Sepé, em Capivari do Sul, de 5 MW, com os mesmos acionistas,  que deve participar do leilão previsto para 2019.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome aqui